CSN eleva preços de aço em até 8% em 20 de julho

-

Fonte: Globo.Com / Reuters

SÃO PAULO, 11 Jul (Reuters) – A Companhia Siderúrgica Nacional está comunicando distribuidores sobre reajuste em seus preços de aço em até 8 por cento, o primeiro em vários trimestres, em meio a um cenário cambial que dificulta importações e após aumentos praticados por rivais entre o final de junho e início deste mês.

Segundo distribuidores de aços planos consultados pela Reuters, a CSN está comunicando aumentos de 5 por cento para aços laminados a frio e de até 8 por cento nos laminados a quente. A mudança dos preços ocorre em 20 de julho.

O reajuste segue recentes aumentos de preços das rivais Usiminas e ArcelorMittal perto dos mesmos patamares.

“É o primeiro (reajuste da CSN) do ano. Nem me lembro quando foi o último reajuste para cima. Ano passado só teve para baixo”, disse um dos distribuidores procurados pela Reuters. “Tinham virado o ano realmente com muito desconto e agora estão subindo o preço base”, acrescentou.

Segundo o distribuidor, a justificativa da CSN seria a alta do dólar contra o real, que entre abril e junho foi de 10,1 por cento.

“Hoje se você for importar (aço), vai pagar mais caro que o nacional e com esse aumento vai ficar mais ou menos elas por elas”, disse. “A gente vai começar a saber se vai dar para repassar (aos clientes) em agosto”, acrescentou.

Segundo o Instituto Aço Brasil, as importações diretas de aço pelo país devem recuar 3,8 por cento em 2012, para 3,64 milhões de toneladas.

Procurada, a CSN não comentou o assunto de imediato.

Às 15h30, as ações da CSN exibiam queda de 3 por cento, enquanto Usiminas recuava 1,1 por cento.